Projetos com impacto mensurável nas metas dos ODS

Gerar impacto real nas metas dos ODS é o principal foco da Estratégia 2030 da Rede Brasil do Pacto Global. Dentro das frentes temáticas já existentes (Energia e Clima, Alimentos e Agricultura, Direitos Humanos e Trabalho, Anticorrupção, Água e Saneamento, ODS e Engajamento e Comunicação) ocorrerão projetos de grande e médio portes.

Também direcionaremos nossos esforços para uma nova modalidade de atuação, os projetos globais de impacto, que irão abordar, neste primeiro momento: Clima (ODS 13), tema que vem sendo trabalhado com o compromisso Business Ambition for 1.5 Our Only Future, que no Brasil ganhou a campanha #aceitaestacaneta; Gênero (ODS 5), com a mobilização Equidade é Prioridade; SDG Ambition, que irá buscar o engajamento das empresas na ampliação do compromisso com os ODS; Oceanos (ODS 14); Água e Saneamento (ODS 6).

Esses projetos institucionais seguirão uma metodologia que apontará o engajamento e o compromisso das grandes empresas com os indicadores dos ODS e se estão gerando impacto real na Agenda 2030. Exemplos de indicadores que podem ser trabalhados pelo setor empresarial estão as emissões de gases de efeito estufa, percentual de mulheres em cargos de decisão, utilização de água no processo produtivo, entre outros.

Evolução do modelo de negócios

Item essencial para o avanço da sustentabilidade no setor empresarial é a inserção dos ODS dentro das estratégias de negócios, de modo que a Agenda 2030 esteja presente no negócio principal das empresas. 

Nestes 10 anos que faltam para o cumprimento da Agenda 2030, queremos que as empresas ampliem seus níveis de ambição na integração total da  sustentabilidade nas operações, alinhando crescimento econômico às necessidades da sociedade e do planeta. O compromisso público das signatárias com esta forma de atuação será uma das prioridades da Rede Brasil do Pacto Global, assim como o  apoio para que isso ocorra de fato e os ODS passem a ser os direcionadores das organizações desta nova década.

As principais frentes de atuação serão:

1) Ferramentas: o Pacto Global possui ferramentas que indicam o passo a passo para a inserção dos ODS nas estratégias das empresas, como o SDG Compass e o novo framework SDG Ambition.

2) Engajamento dos presidentes-executivos (CEOS) e dos presidentes dos Conselhos de Administração: a sustentabilidade entra de fato no mindset da organização quando a principal liderança assume os ODS como posicionamento dentro e fora da empresa. 

3) Mobilização de áreas-chave dentro das organizações: para dar mais velocidade ao processo de difusão da sustentabilidade nas empresas e organizações, passaremos a direcionar iniciativas, comunicações e programas para algumas áreas definidas como essenciais nas organizações. 

4) Mensuração: para uma atuação mais assertiva, as empresas precisam ter clareza de como estão e o que precisam fazer para evoluir no campo da sustentabilidade. Para contribuir com este desafio, o Pacto Global irá disponibilizar algumas tecnologias, como, por exemplo, o SDG Action Manager, elaborado com o B Lab.

5) Jovens lideranças movidas pelos ODS: o avanço da sustentabilidade dentro das organizações ocorrerá com o apoio dos jovens, que nos próximos anos ocuparão posição de liderança nas estruturas das empresas. Assim, atuaremos fortemente com o Jovens Inovadores em ODS, um programa que combina aprendizado e incubação de ideias inovadoras na área. Também queremos integrar a Agenda 2030 aos programas de trainees dos nossos signatários.

6) Capacitação: para ajudar as empresas a inserirem os ODS em suas estratégias de negócios, a Rede Brasil do Pacto Global dará escala às soluções in company, proporcionando mais acesso ao conhecimento que gera. Além disso, ampliará a utilização da plataforma de treinamentos online, a UN Global Compact Academy, e a disponibilização de treinamentos e workshops abertos, entre eles alguns já consolidados, como a capacitação SDG Compass. 

 

Um lugar na mesa nos fóruns decisórios globais de referência 

Fazer parte da Rede Brasil do Pacto Global significa participar dos principais fóruns de discussão de sustentabilidade, que estão direcionando os rumos do mundo. Assim, proporcionamos aos nossos membros a possibilidade de acompanhar de perto esses movimentos, assim como interagir, compartilhar conhecimento e buscar soluções para os seus negócios.

Queremos ainda fomentar discussões e debates em torno dos ODS, inserindo o tema na pauta de prioridades do setor empresarial. Dar luz aos desafios e conquistas continuará sendo prioritário para a Rede Brasil do Pacto Global. Para alcançar esse propósito, seguiremos conduzindo ou apoiando grandes debates nacionais e internacionais, como o Global Anti-corruption & Integrity Forum (Março, Paris), o Fórum dos Oceanos (junho, Lisboa), o Leaders Summit (junho, NY), o SDGs in Brazil (junho,NY), a World Water Week (agosto, Estocolmo), a Assembleia Geral da ONU (setembro, NY), o Making Global Goals Local Business (outubro, SP), o Fórum Mundial de Empresas e Direitos Humanos (novembro, Genebra), a COP, entre outros.

Também ajudaremos as organizações da nossa rede no desenvolvimento de debates sobre temas relacionados aos ODS, atuando como curadores na definição e direcionamento dos conteúdos abordados.

Parcerias e regionalização

A Rede Brasil do Pacto Global já realiza inciativas com diversos parceiros, especialmente empresas, agências da ONU e organizações do terceiro setor. A partir de 2020 queremos intensificar esse tipo de atuação, expandindo os projetos em ecossistemas e com startups, com o apoio de consultorias e de investidores. Também iremos ampliar a aproximação com a academia e com a sociedade civil para aprimorar a capacidade de gerar impacto por meio do conhecimento científico e prático, e engajar ainda mais as instituições governamentais para replicar o conhecimento desenvolvido na esfera pública.

Para ampliar o engajamento do setor empresarial brasileiro em torno da Agenda 2030, acreditamos ser importante a realização de um trabalho regional de sensibilização. Hoje, a maior parte dos signatários, 43%, encontra-se no Estado de São Paulo. Dessa forma, a partir de 2020, reforçaremos nossas ações em alguns estados brasileiros, com a criação de hubs regionais, que contarão com o apoio de instituições estaduais e que atuarão como difusores locais dos ODS. Neste momento, já estão em andamento a construção de hubs em dois estados, Paraná, que responde, hoje, por 17% das participações, e Minas Gerais, com 10,7% de representatividade.

 

 

Engajamento da cadeia de valor

Fazem parte da Rede Brasil do Pacto Global grandes empresas com extensas cadeias de valor, com imenso potencial de engajamento e sensibilização. Nos próximos anos, a nossa abordagem com as pequenas e médias empresas ocorrerá, principalmente, com o apoio das grandes empresas e terá como foco as cadeias de valor. Além disso, desenvolveremos plataformas online para capacitação e direcionamento deste público, como a ferramenta que está sendo construída em conjunto com o Sebrae e será disponibilizada para PMEs.