Refugiadas participam de workshop sobre redes sociais e empreendedorismo

4 de novembro de 2019 - Na última sexta-feira (01), o escritório do Facebook em São Paulo recebeu cerca de 50 mulheres em situação de refúgio para um workshop sobre uso das redes sociais e empreendedorismo. O treinamento é parte da programação do Empoderando Refugiadas, iniciativa da Rede Brasil do Pacto Global, da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e da ONU Mulheres, que trabalha a empregabilidade e capacitação de mulheres refugiadas em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR).

O intuito do encontro foi demonstrar às participantes como é possível utilizar as redes sociais para negócios, principalmente para quem quer empreender. Como afirmou Andrea Leal, Gerente de Políticas Públicas do Facebook no Brasil, “as redes sociais podem nos conectar a amigos e familiares mas também podem nos conectar a clientes. Qualquer pessoa que quer empreender consegue usar as redes sociais para divulgar um negócio.”

Dentre as participantes da atual edição do projeto, várias tem o sonho ou já são de fato empreendedoras. Como é o caso de Adriana, venezuelana de 32 anos que, há pouco mais de 3 anos no Brasil, decidiu montar sua própria confeitaria em São Paulo.

“Eu sou formada em administração de Recursos Humanos na Venezuela. Mas sempre acreditei que um dia montaria minha empresa. Este ano percebi que, já que estou no Brasil, tenho que construir minha vida aqui. Fiz cursos, comecei a trabalhar com gastronomia e recentemente aluguei meu próprio lugar”, disse Adriana.

A empreendedora venezuelana conta que as redes sociais são uma ferramenta importante para o sucesso de seu negócio. Por meio da página de seu empreendimento no Instagram (@aromascafe46), Adriana compartilha sobre seus produtos com possíveis clientes. “Nas redes sociais eu subo fotos, posto receitas, vídeos, e aos poucos vou atraindo público. Consigo atrair clientes que não conheceriam meu negócio se não fosse pela internet.”

Já outras participantes, que ainda não possuem estratégia clara de negócio nas redes sociais, puderam inspirar-se com as técnicas ensinadas. Renee, que é artesã e natural da Guiana, contou que o workshop foi esclarecedor neste sentido. “Aprendi que preciso separar os conteúdos sobre negócios daqueles que são pessoais. Faço confecção de bonecas negras, como uma forma de conscientização contra o racismo e, agora, pretendo usar mais as redes sociais a meu favor.”

 

O Empoderando Refugiadas

O Projeto Empoderando Refugiadas já está em sua quarta edição e atende a mulheres em situação de refúgio em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Após a série de workshops temáticos, que se encerram em novembro de 2019, as participantes serão certificadas e encaminhadas a dinâmicas de contratação com representantes de empresas. A seleção de participantes é feita em parceria com o Programa de Apoio para Recolocação de Refugiados (PARR) – iniciativa da empresa EMDOC. Outros parceiros estratégicos são a Fox Time, o Grupo Mulheres do Brasil, a Migraflix, a We Work e a Caritas São Paulo.

O Empoderando Refugiadas conta com o apoio da ABN AMRO, Carrefour, Conselho Britânico, Facebook, MRV, Lojas Renner e Sodexo.

Mais signatárias da Rede Brasil se unem à mobilização #AceitaEstaCaneta
Empoderando Refugiadas encerra série de workshops em SP com o tema educação financeira
Guia Exame de Sustentabilidade reconhece 47 empresas da Rede Brasil
Confira a programação da Rede Brasil no World Toilet Summit
Refugiadas participam de workshop sobre redes sociais e empreendedorismo
Líder com Impacto e CEO deixa recado sobre a campanha #AceitaEstaCaneta
Rede Brasil participa da Conferência Brasileira de Mudança do Clima
Refugiadas compartilham experiências sobre empreendedorismo em São Paulo
Mulheres refugiadas são treinadas em leis trabalhistas e canais de denúncia de violência de gênero em SP
#AceitaEstaCaneta: saiba como participar da campanha pelo clima da Rede Brasil
Rede Brasil lança workshops de integração dos ODS no setor elétrico
Treinamento Avaliação em Riscos de Corrupção (São Paulo)