Refugiadas compartilham experiências sobre empreendedorismo em São Paulo

Outubro de 2010 - O empreendedorismo de mulheres refugiadas foi tema de mais um workshop do Projeto Empoderando Refugiadas, realizado em São Paulo, no Museu da Imigração, na segunda-feira (28). O encontro, realizado em parceria com Migraflix e MRV, reuniu profissionais do mercado para um diálogo sobre refúgio e empreendedorismo com as atuais participantes do projeto - iniciativa da Rede Brasil do Pacto Global, da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e da ONU Mulheres, com foco na empregabilidade de mulheres em situação refúgio no Brasil.

Com a mediação de profissionais do Sebrae, o encontro contou com um painel sobre como mulheres refugiadas podem começar um novo negócio no Brasil ou formalizar a atividade profissional que já exercem. Duas participantes de edições anteriores do Empoderando Refugiadas puderam compartilhar suas experiências com o empreendedorismo gastronômico. 

Yilmara, refugiada venezuelana, hoje é proprietária de um buffet de comidas típicas de seu país em São Paulo, porém, conta que gerenciar um negócio em outro país é um desafio constante. “Comecei procurando informação sobre como começar um negócio no Brasil e me cadastrei para fazer cursos. Empreender e desenvolver um negócio é dia a dia, um empreendedor precisa sempre revisar, analisar, pesquisar o que está dando certo e o que não está.”

A busca por informação e a ajuda de brasileiros também foi o que encorajou Ghazal, refugiada síria, a iniciar seu empreendimento de comida árabe no Brasil. “Quando cheguei no país, há seis anos, foi difícil, é claro. Não falava português, não conhecia ninguém. Mas, com o tempo, conheci brasileiros que me ajudaram, e comecei a trabalhar fazendo comida em casa para encomendas e festas.”

Yilmara e Ghazal, ex-participantes do Empoderando Refugiadas, compartilham suas experiências com o empreendedorismo gastronômico. 

O encontro ainda contou com a participação da Migraflix, que aplicou uma metodologia de planejamento de negócios junto às refugiadas, e com representantes das empresas Airbnb, Consulado da Mulher (iniciativa da Cônsul/Whirpool) e Uber Eats, que apresentaram suas plataformas de incentivo ao empreendedorismo e como elas podem auxiliar quem deseja empreender no Brasil. 

O Empoderando Refugiadas

Em sua quarta edição este ano, o Projeto Empoderando Refugiadas atende a mulheres em situação de refúgio em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Além da série workshops temáticos, a programação do projeto também prevê sessões de mentoria e encontros de empregabilidade com empresas brasileiras. A seleção de participantes é feita em parceria com o Programa de Apoio para Recolocação de Refugiados (PARR) – iniciativa da empresa EMDOC. Outros parceiros estratégicos são a Fox Time, o Grupo Mulheres do Brasil, a Migraflix, a We Work e a Caritas São Paulo. 

O Empoderando Refugiadas conta com o apoio da ABM AMRO, Carrefour, Conselho Britânico, Facebook, MRV, Lojas Renner e Sodexo.  

 

Signatárias da Rede Brasil são reconhecidas com selo de integridade da CGU
Durante COP 25, chega a 177 o número de empresas que assinaram compromisso pelo clima
“Precisamos dobrar nossos esforços relacionados à água”, afirma presidente do CEO Water Mandate em visita ao Brasil
Empresas e mulheres refugiadas se reúnem para dinâmica de empregabilidade em São Paulo
Programação da Rede Brasil na COP 25 inclui debate de meta 1,5ºC para a temperatura global
Mais três empresas brasileiras assinam o compromisso Business Ambition for 1.5º C
Empresas de Limpeza Urbana se unem para criação de Pacto Setorial de Integridade
Confira os projetos finalistas do Prêmio de Água e Saneamento da Rede Brasil
Signatárias da Rede Brasil participam de Fórum Mundial de Negócios e Direitos Humanos
CEO Water Mandate destaca projetos de gestão hídrica em empresas brasileiras
Mais signatárias da Rede Brasil se unem à mobilização #AceitaEstaCaneta
Empoderando Refugiadas encerra série de workshops em SP com o tema educação financeira