Jovem brasileira disputa final de premiação do Pacto Global

A funcionária da Nestlé, Juliana Oliveira, representa o Brasil na disputa de um reconhecimento do Pacto Global a futuros líderes empresariais. A turma de 2019 do SDG Pioneers será um grupo seleto de jovens de até 35 anos que estão participando de iniciativas que contribuam para a pavimentação de um caminho rumo à agenda global de sustentabilidade. A brasileira conquistou o lugar após ter sido premiada no Prêmio ODS Pacto Global, competindo comcases de mais três finalistas na categoria Jovem Profissional

 

Juliana se tornou uma inspiração para a empresa após conscientizar seus colegas sobre o uso de canecas no lugar de copos plásticos. A ideia foi propulsora de uma campanha comandada pelo RH da Nestlé que resultou na economia de um milhão de copos plásticos por mês no ambiente de trabalho. Por conta da ação, Juliana foi convidada para participar do Grupo de Trabalho de Canudos. Hoje, os canudinhos prontos de Nescau Prontinhos são recicláveis, feitos de papel. A ação também se desdobrou em um projeto-piloto (#JOGAJUNTO) e em um prêmio de US$ 50 mil para start-ups que mitiguem e reduzam o impacto dos canudos de plástico. Conheça melhor essa história.  

 

A história da jovem profissional foi escolhida por uma equipe de jurados independentes do Prêmio ODS Pacto Global, que se baseou em critérios definidos pela PWC. O resultado contou com auditoria da empresa de consultoria. Agora, Juliana espera com os indicados de outras redes locais o anúncio dos SDG Pioneers durante a 74ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em setembro, em Nova York.   

 

  

Última Edição  

Em 2018, mais de 150 indicações para o reconhecimento dos SDG Pioneers foram recebidas, vindas de mais de 50 países diferentes. Dessas, houve a seleção de dez líderes empresariais. Um deles foi a brasileira Danielle Pieroni, da Foxtime, que participou da criação e implementação do projeto da Rede Brasil que insere mulheres refugiadas no mercado de trabalho do Brasil – Empoderando Refugiadas. 

PMEs sofrem com a pandemia, não recebem apoio, mas tentam manter empregos mesmo com a crise
Nova edição do projeto Empoderando Refugiadas será adaptada ao cenário da pandemia
174 empresas pedem retomada econômica sustentável com atenção ao clima

NOSSOS PARCEIROS

APOIADORES

Grupo Boticário
MRV